O treinamento físico consciente na terceira idade

No artigo de hoje, vou compartilhar com vocês uma história de um aluno que me tocou bastante e logo vocês entenderão o porquê. 


Quando cheguei na casa dele pela primeira vez, não sabia o que esperar. Aparentemente, ele parecia estar com um certo ar de rejeição, só de pensar em começar a se movimentar. Sentado no sofá, elegante como ele é, estava com uma carinha séria, mas por trás daquele semblante austero, deixava escapar também uma certa curiosidade sobre o que poderia vir pela frente.


Iniciamos o treinamento com movimentos leves e suaves, para que ele fosse se acostumando a se mexer, afinal já fazia 20 anos que ele não praticava nenhuma atividade física. Continuei atenta, a fim de tentar identificar alguma cara feia ou expressão corporal que denunciasse qualquer tipo de desconforto ou sensação de rejeição com relação ao que estávamos fazendo. A cada exercício proposto, ele iniciava os movimentos demonstrando um desequilíbrio já esperado, que é plenamente normal para quem esteve por tanto tempo parado. 


Foi quando eu pedi a ele que se concentrasse nos movimentos, que colocasse o foco total na musculatura que estava em atividade, que sentisse seus pés tocando o chão, que sentisse a energia fluir pelo seu corpo. Neste momento, pensei comigo que talvez este seria o momento em que ele iria parar de aceitar a orientação e rejeitar este convite, que para muitas pessoas, pode até parecer algo místico, longe daquilo que se costuma chamar de pragmático. Para minha surpresa, ele não só aceitou a orientação, mas procurou realmente entender o que estava acontecendo com ele tanto no nível corporal, como no nível dos pensamentos. O olhar dele mudou! Senti que ele estava com foco total no que estava fazendo, como se todos os pensamentos que pudessem estar roubando sua atenção, desaparecessem instantaneamente.


Pouco a pouco, o desequilíbrio foi diminuindo, e comecei a observar nele movimentos espantosamente consistentes, tendo como base seu estágio inicial de treinamento. Comecei a introduzir exercícios um pouquinho mais elaborados e ele, sem perder a atenção, iniciava o movimento novo com certa dificuldade, mas seu estado de presença era tão grande que após algumas repetições, ele já demonstrava ter aumentado bastante o domínio sobre aquele movimento.


Fiquei muito contente em ver estes resultados e quando o treino acabou batemos um papo muito gostoso, onde ele pode contar, daquele jeito meio sério, o que ele tinha achado da experiência e um pouco sobre como ele andava se relacionando com seu corpo ultimamente.


Essa é a história do José Mario, o Zé. Um cara aparentemente tímido, que nunca foi incentivado a realizar atividade física e que já tinha se acostumado a passar seus dias sentindo diversas dores e desconfortos físicos, como câimbras e fraqueza muscular. Naquele início de treinamento, ele me confessou que queria mudar tudo isso. E que iria levar o treinamento a sério. E a julgar pela postura com que ele fez todos os exercícios, posso afirmar que ele estava sendo bastante sincero.


Hoje, depois de 3 meses do treinamento, gravei este vídeo, que não resisti em compartilhar com vocês. Perguntei a ele o que estava sentindo em relação aos treinos e a metodologia. E sua resposta foi: “RENASCIMENTO, é isso que estou sentindo”. Neste momento fiquei bastante emocionada, pois o propósito de tudo isso que fazemos é ajudar as pessoas a entrarem em contato com a vida, que é tão abundante dentro da gente, mas que as preocupações do dia-dia-dia e o que chamamos de nossos problemas, muitas vezes roubam nossa atenção, fazendo com que a gente se sinta cansado, fragilizado e muitas vezes sem esperança. E isso vale para qualquer idade!


Compartilho essa história com você, por que acredito que existam muitas pessoas que sentem sensações parecidas com as do Zé. Eu, mesmo sendo professora, e treinando bastante o estado de presença, corro o risco de entrar num looping cotidiano, onde a mente voa para situações hipotéticas de perigo que nos atormentam e nos deixam fracos e desmotivados. Mas assim como o Zé tomou a decisão de olhar por um ponto de vista diferente, e focar em sua energia vital (o chi, como falam os chineses, ou ki, como falam os japoneses), todos nós temos esta capacidade! E o quanto usufruímos dessa energia, para realizar as tarefas do dia-a-dia, é exatamente proporcional ao quanto treinamos acessa-la.


Podemos aumentar a nossa longevidade, simplesmente fazendo este treinamento, ou seja, estarmos vivendo o momento presente, entrando em contato com nossa energia vital, e realizarmos todos os movimentos e forma consciente, seja para dar uma palestra, seja para abaixar para pegar um lápis no chão, cada qual com o mesmo nível de importância. Esse é também o segredo para sair do automatismo que parece guiar nosso corpo. Estarmos conscientes do que estamos fazendo é levar vida pro movimento e para levar vida para o movimento, precisamos entrar em contato com ela.


A atividade física e o movimento realizado de forma consciente, ou seja, trabalhando o movimento corporal em conjunto com a mente e fazer um treinamento em grupo, promovendo a socialização, interação e relacionamento, evitam o envelhecimento muscular precoce, conservam o sistema cardiorrespiratório e vitalizam o sistema nervoso, evitando não apenas doenças reumáticas (fibromialgia, artrose, osteoporose), como também doenças respiratórias (hipertensão, insuficiência cardíaca, arritmia) e doenças neurológicas (Alzheimer, Parkinson, distrofia muscular, esclerose múltipla).


E foi através de muitos estudos, práticas e uma imensa vontade de ajudar as pessoas, que a metodologia Treinamento Movimento Consciente foi desenvolvida. Todos os nossos movimentos têm como objetivo trabalhar o corpo unido à mente e resgatar as capacidades funcionais do corpo e a consciência corporal que está adormecida.


Atendemos não só pessoas adeptas a atividade física, mas sim todas as pessoas que tenham vontade de resgatar o movimento natural do corpo, evitando assim desconfortos físicos e psicológicos. Temos grupos abertos de iniciantes (ciclo 1) e terceira idade, para maiores informações clique aqui.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Posts Recentes

Já pensou em eliminar as dores musculares e a rigidez de movimento?

Aprenda a realizar a auto liberação miofascial e diga adeus ao desconforto!

Aproveite a promoção de Pré-Lançamento !

Corpo e mente